Vera Cruz Campinas defenderá o título em 2019 (Pedro Teixeira/Arquivo LBF)

A LBF CAIXA segue crescendo. Pelo segundo ano consecutivo, o principal torneio de basquete feminino do Brasil aumenta o número de seus participantes. A edição de 2019 contará com 11 equipes, incluindo oito que disputaram a última temporada, além de três novos participantes.

São elas: BAX Catanduva-SP, Blumenau-SC, Ituano-SP, Sampaio Basquete-MA, Santo André/Apaba-SP, São Bernardo/Brazolin/Unip, Uninassau-PE e Vera Cruz Campinas-SP. A novidade está por conta da chegada da LSB-RJ, que recoloca o Rio de Janeiro no cenário nacional da modalidade após 8 anos, do Pró-Esporte/Sorocaba-SP e do SESI Araraquara-SP. Ao todo, são cinco estados e três regiões representados. O calendário de jogos da nona edição da LBF CAIXA será divulgado em janeiro de 2019.

O crescimento natural e sustentável da Liga se deve ao planejamento iniciado em maio de 2017, com a gestão de Ricardo Molina. Baseada em três pilares – planejamento, transparência e contrapartida, a LBF ofereceu aos filiados um calendário definido com grande antecedência, além de subsídios para a disputa do torneio.

A edição 2018 trouxe um salto de qualidade ao campeonato, com a transmissão de todas as partidas da fase inicial e playoffs pela WEB – mantida para 2019 -, transmissões semanais em TV aberta após 20 anos de ausência, além da fase final no SporTV, parceiro de mídia já confirmado para 2019.

Inéditas, as enterradas foram o ponto alto do Jogo das Estrelas 2018 (João Pires/Arquivo LBF)

“Nossa gestão gosta de ousadia, inovação e vamos procurar inovar sempre. Além da qualidade dos jogos, já temos um crescimento do número de equipes e estamos agregando novas praças à competição. Essas novas equipes estarão na Liga por acreditarem neste novo trabalho e por enxergarem que o Basquete Feminino volta a gerar interesse e transmitir credibilidade. Acredito muito que as equipes também serão ousadas nas contratações, já que para 2019 estamos custeando além de arbitragem, as passagens aéreas das equipes, reduzindo muito os custos das equipes com a estrutura para disputa da competição”, prevê Molina.

Na parte Social, a LBF premiou a equipe com o melhor projeto social com o troféu LBF CAIXA Social, além de ter levado a LBF nas Escolas para 23 instituições de ensino das cidades com equipes na competição, alcançando mais de 8 mil crianças e adolescentes. Administrativamente, a entidade foi certificada com o ISO 9001: 2015 de Sistema de Gestão da Qualidade, que padronizou os processos internos da LBF.

O Jogo das Estrelas, realizado em abril em Santo André (SP), foi sucesso de público e audiência com o primeiro torneio de Enterradas Feminino do país, realizado através de parceria com a Unicamp, que analisou a altura do aro para a categoria. O ‘JdE’ 2018 também recebeu o Desafio Internacional que colocou a LBF e a La Liga Femenina, da Argentina, frente a frente nas disputas.

Ricardo Molina destaca o crescimento da LBF CAIXA e prevê mais novidades: “Vamos procurar inovar sempre” (João Pires/Arquivo LBF)

“Para 2019, pretendemos surpreender. Com certeza, teremos a 2ª edição do Torneio de Enterradas Feminino, além de outras novidades que estamos preparando com muito carinho. Podem aguardar!”, finaliza Molina.

Confira todos os participantes da LBF CAIXA 2019:

SESI Araraquara é uma das novidades para 2019 (Divulgação)

BAX Catanduva-SP: Cidade campeã brasileira em 2010, o projeto atual retomou o basquete feminino da cidade-feitiço em 2017 e participou da LBF CAIXA 2018. Nas edições estaduais, foi semifinalista em 2017 e 2º colocado na Primeira Divisão 2018. Técnico: Cesamar Fernandes. Na LBF CAIXA: 2ª participação

Blumenau-SC: O representante do sul brasileiro possui um dos mais sólidos projetos da modalidade e uma hegemonia em Santa Catarina. Por dois anos seguidos, conquistou os quatro principais títulos regionais. Em 2018, fez a melhor campanha de sua história na LBF CAIXA, atingindo as semifinais e terminando na 4ª posição. Técnico: João Camargo. Na LBF CAIXA: 4ª participação

Ituano-SP: O rubro-negro paulista participará de sua segunda edição do nacional. Em 2018, ano de estreia, foi até as quartas de final. Em novembro, conquistou o primeiro título de sua história nos Jogos Abertos do Interior. No comando da equipe, o experiente Antonio Carlos Barbosa e dentro de quadra, as experientes Kelly, Palmira e Joice. Técnico: Antonio Carlos BarbosaNa LBF CAIXA: 2ª participação

LSB-RJ: O primeiro representante carioca na LBF CAIXA desde o Instituto Mangueira em 2010 vem da Liga Super Basketball, que montou uma seleção de atletas do seu campeonato para disputar a LBF CAIXA 2019. A equipe terá o comando de Guilherme Vos, referência no basquete feminino carioca e dono de vasta experiência em seleções de base. Técnico: Guilherme Vos. Na LBF CAIXA: 1ª participação

Pró-Esporte/Sorocaba: A cidade que escreveu uma bela história no basquete feminino nas décadas de 1980 e 1990, que culminou no título Mundial de 1991, voltou ao cenário há 4 anos, com o projeto em parceria com a prefeitura municipal. Neste ano, voltou a disputar o Paulista após 25 anos, e em 2019 estará oficialmente de volta ao âmbito nacional. Técnico: Marcinho. Na LBF CAIXA: 1ª participação

Sampaio Basquete-MA: O tubarão representará o Estado do Maranhão pela quarta temporada consecutiva, seguindo em busca do bicampeonato – campeão em seu ano de estreia (2016), esteve muito próximo do título em 2018, quando foi vice. Técnico: a definir. Na LBF CAIXA: 4ª participação

Santo André/Apaba-SP: A cidade do ABC paulista possui o projeto mais longevo do basquete feminino, iniciado na década de 1950. Com a lendária Laís Elena, foi o primeiro campeão da LBF CAIXA, em 2010, e é a única equipe a participar de todas as edições do torneio. Atual bicampeão paulista, está novamente na final estadual. A ala Jaqueline, principal nome da equipe, foi a cestinha da LBF CAIXA 2018, com 21 pontos por jogo. Técnico: Bruno Guidorizzi. Na LBF CAIXA: 9ª participação

Finalista em 2018, Sampaio Basquete segue em busca do bi (Matheus Marques)

São Bernardo/Brazolin/Unip: O vizinho e rival de Santo André estreou na LBF CAIXA 2018, apostando na geração campeã sub-19 paulista em 2017 e apresentando ao país as joias Lays e Thayná. A segunda, inclusive, foi a atleta mais eficiente no ano de estreia e eleita revelação do campeonato. Técnico: Marcio Bellicieri. Na LBF CAIXA: 2ª participação

SESI Araraquara: Após 10 anos, a cidade do interior paulista volta ao basquete de alto nível, com uma equipe que mescla a juventude das atletas de base e a experiência das irmãs Silvinha e Karen, Débora e Tati Castro. Fora das quadras, a principal responsável pelo projeto é a campeã Mundial e medalhista olímpica Roseli. Técnico: André Carrascoza. Na LBF CAIXA: 1ª participação

Uninassau-PE: Pernambuco segue no torneio com a equipe que chegou ao pódio nas últimas duas edições do nacional. Após o vice na temporada 2016/2017, ficou no terceiro lugar em 2018, liderado pelo trio Casanova-Gil-Tássia, que deixaram o clube. No banco, o comando do campeão da LBF CAIXA 2013 com o Sport Recife. Técnico: Roberto Dornelas. Na LBF CAIXA: 3ª participação

Vera Cruz Campinas-SP: O atual campeão brasileiro vem para a sua segunda temporada na competição. Apesar do pouco tempo de fundação, o DNA da equipe é vitorioso. Capitaneado pelo técnico Antonio Carlos Vendramini e pelas únicas pentacampeãs Karla e Babi, conquistou o nacional em seu ano de estreia, após sua base ter sido quatro vezes campeã em Americana. No paulista, fará a decisão contra o Santo André/Apaba. Técnico: Antonio Carlos Vendramini. Na LBF CAIXA: 2ª participação

A CAIXA Econômica Federal é a patrocinadora oficial da Liga de Basquete Feminino, que organiza a LBF CAIXA. A competição tem a TV Globo, o SporTV e o globoesporte.com como parceiros de mídia oficiais e a bola oficial da Wilson.