Mercado

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A IDA DE ÉRIKA PARA O CASTORS BRAINE

Foto: FIBA

Aos 38 anos de vida e dona de uma carreira em que provou ser capaz de se reinventar várias vezes, a pivô Érika de Souza enfrentará um desafio inédito na temporada 2020/2021.

Érika vinha analisando propostas de vários clubes europeus e parecia próximo seu acerto com um novo clube na Espanha.

Mas ontem, 6 de setembro de 2020, a brasileira foi anunciada como reforço do Royal Castors Braine, vencedor da Liga Belga nas últimas sete temporadas.

A Bélgica é uma força emergente no basquete feminino, quarta colocada no último Mundial (2018) , está classificada para os Jogos Olímpicos de Tóquio (2021) e é  dona de um estilo de jogo dos mais interessantes da atualidade.

Pelo Braine já passaram pelos últimos anos jogadoras com Ann Wauters, Karlie Samuelson e Alina Yagupova.

Na temporada 2019-2020, o clube disputou a EuroLiga e sofreu com o poderio dos rivais. Conseguiu apenas três vitórias em catorze jogos.

Para essa temporada, o time está confirmado no grupo H da Eurocopa, ao lado do espanhol Valência e do conterrâneo Basket Hema.

O Braine vem muito reformulado para a atual temporada e a decisão da vinda da brasileira passou pela desistência da croataIvana Tikvic, contratada anteriormente.

Érika terá como companheiras no garrafão a canadense Kayla Alexander,  a jovem bósnia Melisa Brcaninovic e a americana naturalizada camaronesa Brittany Starling, que disputou a LBF 2019 ao lado da brasileira no Uninassau.

O Braine contará ainda com a armadora Marjorie Carpreaux, da seleção local e com a ala letona Kate Kreslina.

O técnico é o francês Frederic Dusart, que comandou o Villeneuve por sete anos e está em seu segundo ano no clube, e a assistente é a sérvia Ljubica Drljača, companheira de garrafão de Érika e Delisha Milton no famoso time espanhol do Ros Casares Valência, vice-campeão da Euroliga 2009-2010.

por Bert – Painel LBF

(07 de setembro de 2020)