LBF

SAMPAIO INCONTESTÁVEL

(Matheus Marques)

No aquecimento para a atual temporada da LBF, o apetite do Sampaio Basquete nas contratações chamou a atenção e colocou o clube maranhense como favorito ao título.

O favoritismo teórico se confirmou na prática de forma maiúscula na hora da decisão, com atuações arrasadoras nas semifinais (contra Santo André) e finais (contra o Vera Cruz Campinas).

Nesse segundo título do Sampaio na LBF, chamaram a atenção o ótimo trabalho defensivo implementado pelo técnico argentino Cristian Santander e ainda a valorização de todo o elenco.

Se a temporada regular confirmou a evolução da MVP Raphaella Monteiro, as finais tiveram Tainá Paixão como dona da taça.

Com uma temporada algo acanhada até as semifinais, Tainá brilhou na segunda vitória contra Santo André, levando pela primeira vez o troféu de MVP e recebendo um elogio público de seu técnico, que declarou ser “um luxo treinar uma jogadora que entende tudo”. Com a paralisação da LBF para o Pan, Tainá defendeu a seleção e esteve muito bem novamente nos momentos decisivos (a semifinal contra a Colômbia e a final contra os Estados Unidos). No retorno da LBF, voltou a jogar bem contra Campinas nas finais e termina a temporada em alta.

Mas no Sampaio houve espaço ainda para a gigante e onipresente Clarissa.

Para a categoria das americanas Scaife e Jackson.

Para a disciplina da argentina Leiva.

Para o aumento da confiança da capitã Tati Pacheco.

Para a boa temporada das jovens Maria Carolina e Vitória Marcelino.

Para uma oportunidade de recomeço para a talentosa Letícia Rodrigues.

Essas mesmas virtudes também rondaram o clube na conquista do primeiro título (2016, sob o comando da cubana Lisdeivi) e ainda na segunda colocação na temporada passada (sob o comando do francês Virgil).

Essa trinca de bons trabalhos já marcam o basquete feminino nacional recente e espero que reforcem o apetite do Tubarão para outras longas jornadas.

por Bert – Painel LBF

25 de agosto de 2019